quinta-feira, 7 de julho de 2011

A cunhada (uma história real)

Este conto foi enviado pelo leitor M.M.

Como adorei o conto, estou postando aqui para que todos se deliciem.




A Cunhada (uma história real)

Não sou muito bom para escrever, então não tenho a pretensão de competir com nenhum outro excelente escritor desta comunidade. Tentarei no máximo, trazer à tona as sensações que nortearam minha real experiência, sim, estou aqui para relatar um fato verídico e que me impulsiona a escrever e querer compartilhá-lo, seja por desencardo de consciência, seja por prazer.
Tenho uma cunhada (irmã de minha namorada) com 22 anos de idade, que aqui chamarei de "Andréia". Ela tem por volta de 1,72 de altura, loira natural, dos olhos castanhos e nariz arrebitado. Calça 36, tem os pés brancos e dedos levemente longos, principalmente seu dedão. Ela sempre pinta as unhas com cores fortes, como vermelho ou "ruby", as vezes, usa roxo ou preto.
Bom, dito isso vamos para a história verídica. Quando vi minha cunhada pela primeira vez não tive por ela grande empatia, pois ela já demonstrava seu caráter enjoado e birrento. Sempre via ela mandando em seu namorado, e minha namorada sempre dizia que ela era mandona e ruim. Em termos de beleza ela sempre chamou a atenção, pois é uma moça muito bonita, magra e sabe se arrumar muito bem. Mas minha "loucura" começou quando vi seus pés pela primeira vez. Lembro-me bem, estava sentado no sofá de sua casa quando ela chegou descalça segurando suas sandálias nas mãos e dizendo que estava muito calor e com dores nos pés. Logo vi que os pés brancos dela estava suado, com as unhas pintadas de roxo, e por mais que eu não estivesse perto dela, pude sentir um cheiro de chulé , mas não insuportável, era um chulé sutil, cheirando um pouco de suor é verdade, contudo, esse cheiro de suor não comprometia o cheiro principal, que chega a ser indescritível no momento. Ela se dirigiu então para o banheiro para tomar banho, todavia minha namorada estava no banheiro, o que fez que minha cunhada deitasse com os pés no sofá ao lado do meu. Eu não consegui desgrudar os olhos de seus pés suados, ela mexia-os e abria bem os dedos como que para se espreguiçar. Esse momento durou uns 10 minutos todavia o cheiro de seu chulé ficou no ambiente por horas. Fiquei com a consciência pesada de ter admirado aqueles pés e de ter me hipnotizados por ele.
A partir dai comecei a pensar nos pés dela seguidamente. Sempre com pesar na consciência. Ela toda vida anda com os pés de fora, adora usar havaianas e rasteirinhas. Adora também deitar no sofá com os pés esticados.
Passou-se então um tempo e eu parecia ter dominado essa tara pelos seus lindos pés. Por algum tempo até havia esquecido o dia em que os vi pela primeira vez e até mesmo o cheiro que senti naquela oportunidade me parecia fugir.
Todavia, esse controle não duraria muito tempo. Num determinado dia de julho de 2010, estava eu na casa da minha namorada, quando minha cunhada chegou do treino (ela joga vôlei). Vi que ela tirou o tênis e as meias (molhadas de suor diga-se de passagem, tendo em vista que ela jogou 2 horas seguidas, sob um forte sol) e os colocou atrás da porta de seu quarto. Na hora não pensei em nada, só vi os pés suados e agora vermelhos de minha cunhada e pude sentir um chulé, desta vez mais forte e tentativo que da última vez. Fiquei na sala assistindo TV com minha namorada por alguns minutos, até que após tomar um banho minha cunhada pediu para minha namorada levar ela em uma amiga. Minha namorada perguntou se eu poderia esperar e eu disse que sim. Elas saíram e eu fiquei sozinho na casa. De repente, tomado por uma força incontrolável de prazer resolvi ir ao quarto da cunhada. Peguei a meia ensopada e comecei a cheira-la, o cheiro era muito forte e por sinal muito, mas muito gostoso, nunca pensei que um cheiro de chulé proveniente de um pé suado poderia ser tão saboroso e indescritível. Aproveitei e comecei a cheirar e lamber suas mais de dez sandálias e seus vários tamancos. Cheguei ao ápice quando encontrei uma rasteirinha dela cinza, essa rasteirinha tem pelo menos 3 anos que ela usa. Existe marcas perfeitas de seus dedos e calcanhar na rasteirinha, bem como seu cheiro impregnado.Eu passava a língua e cheirava. Então resolvi parar e um peso na consciência me abateu.
Todos os dias seguintes eu ficava olhando para os pés dela, e os admirava, eles são lindos demais e mais que isso, são sexy. Com o passar do tempo minha relação com ela se aproximou, comecei a conversar mais com ela e ela também começou a confiar mais em mim. Me contava suas brigas com o ex namorado e outras coisas. Sempre mostrava seu jeito mandona e autoritária, bem como também de mimada e enjoada.
Então um belo dia, ela chegou em casa e eu estava lá na sala sentado ao sofá enquanto minha namorada falava ao telefone com sua colega de trabalho. Minha cunhada tinha vindo do centro da cidade e estava um forte calor e ela havia andado bastante. Ela chegou, com uma sandália de salto alto preta com pedras de strass e foi logo tentando tirar a sandália. De repente, ela estendeu um dos pés e colocou no braço do sofá que eu estava e falou com seu jeito mimado e mandona, mas sem deixar de ser meigo e feminino:
- Tire a sandália para mim que eu não estou conseguindo.
Eu, surpreso e trêmulo, apenas concordei com a cabeça. Na hora de tirar pude sentir seu pé extremamente quente e novamente aquele cheiro de chulé gostoso e extremamente forte. Quando estava tirando do outro pé ela pegou a sandália que eu já tinha tirado e a cheirou, em seguida falou:
-Nossa que vergonha, meu pé ta com um chulé bem forte, também andei o dia todo.
Eu apenas dei risada e na hora que eu estava tirando a outra sandália passei parte da mãe eu seu pé. Ela foi para o quarto e eu cheirei a mão e estava nela aquele cheiro maravilhoso do seu pé, juntamente com o cheiro da sandália.
Comecei a reparar mais e mais em seu pé a ponto de dar bandeira que estava olhando para eles. Comecei a ir mais cedo na casa da minha namorada (enquanto ela ainda não chegava do trabalho) para olhar os pés de minha cunhada a vontade.
Então chegou o derradeiro dia. Ela voltou para casa, desta vez com um tamanco rosa que ela tinha.
Eu estava sentado novamente do sofá e ela pediu para mim tirá-los (acredito que para me provocar), logo vi que o cheiro estava mais forte do que antes e seus pés estavam suados. Então quando tirava o segundo pé ela falou novamente que estava com chulé e eu disparei quase que automaticamente:
- Está gostoso!
E ela olhou com sua cara de brava e perguntou:
- O que?
E eu disse:
- Nada, Estou brincando.
Então ela riu e disse:
- Você ta tirando onda só porque eu tenho chulé e esse meu tamanco ajuda a agravar.
Eu apenas ri. Então ela, quase que me dando um infarto, me deu um de seus tamancos e falou daquele jeito mandão dela:
- Cheira para você vê, nossa eu vou jogar fora esse tamanco.
Então eu cheirei, mas coloquei o nariz bem perto dele e pude sentir o calor e o suor ainda dos pés da minha cunhada nele, o cheiro forte e divino, fechei os olhos e ela disse:
- Nossa até parece que gostou!
Na hora tomei um susto e falei:
- É que estou com o nariz trancado e nem sinto.
Ela riu e foi para o quarto. Depois de uns 3 minutos ela me chamou e eu fui até ela.
Quando entrei ela pediu para mim olhar se ela não tinha deixado cair uma presilha de cabelos em baixo da cama. Eu olhei e disse que não, na hora que eu estava levantando ela colocou subitamente um dos pés em meu nariz e encostou minha cabeça na parede com este e disse:
- Pensa que eu não sei que você olha para meus pés e não tem vontade dele?Eu percebi faz tempo e eu vou contar para sua namorada para ver o que ela acha disso.
Então eu disse por favor para ela não comentar nada, na hora nem tentei negar que era deslumbrado por seus pés.
Ela então falou:
- Eu não digo, mas se você fizer o que eu digo e você sabe que eu não sou boazinha igual minha irmã.
Eu então perguntei o que ela gostaria que eu fizesse. Ela apenas pediu para mim deitar ao pé da cama. Logo em seguida ela começou a passar seu pé suado e "chulézento" em meu rosto e pediu para mim cheirá-lo. Eu comecei a cheirá-lo com prazer e me deixei levar quase chegando ao paraíso, então ela pediu para mim abrir a boca e ela foi colocando dedo por dedo em minha boca aberta. Olhou para mim com sua cara de menina malvada e disse:
- Quero que você limpe ele, lave ele com sua sáliva, não quero tomar banho, pois você vai lava-lo e não me importa se ele está fedido ou suado, eu quero limpo e agora.
Eu então fiquei uns dez minutos chupando e lambendo seus dedos suados e molhados e ela me olhando com uma cara sádica e falando a todo tempo:
- Você gosta, eu sei que você gosta de um chulé, principalmente do meu.

-Diga que você é louco por esse pé e que ele é o mais bonito e cheiroso do mundo, diga que você adoro esse pé fedido e suado em sua boca.
E eu repetia e lambia cada centímetro daquele pé. Ele estava quente e salgado.
Depois de chupar os dedos que estavam pintados de vermelho ela pediu para mim passar a língua nos vãos de cada dedo. Entre os dedos o cheiro era maior e o suor também. Ela falava:
-Limpa bem entre os dedos porque eles estão bem suados e cansados, pois andei o dia todo.
Após adorar, chupar e beijar seus pés por uma meia hora, ela me deixou ir e falou que outro dia tinha mais, mas só quando ela mandasse.


Gostaram? Pois é, tem mais, ele prometeu mandar mais outros 2 contos.

4 comentários:

More Than Useless disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Pirei no conto. Muito bom camarada!
Imagino esse cheiro maravilhoso.

podolatra disse...

nossa muito bom o conto sou louco pelos pes da minha cunha da tambem...

Anônimo disse...

Gostei brother, gostaria que minha cunhada fosse assim. Pois so cherei os peszinhos lindos dela uma vez. Valeuuuu...